Sobre Nós

Nosso Dojo

Dojo ou Dojô significa “ambiente para evolução”, um local onde se praticam artes marciais japonesas.
DO – Caminho, estrada ou trilha (sentido espiritual); JO – Lugar (espaço físico).
Como surgiu a Escola BuTokuDen

De 1995 a 2003, o Sensei Lagares e seu filho Rômulo ministravam Aikido, exclusivamente no Dojo principal da Academia de Polícia Militar de Minas Gerais.

Com o aumento da procura e a necessidade de ampliar o acesso da comunidade aos benefícios proporcionados pelo Aikido, fundaram um Dojo próprio, em 2004, e o chamaram BuTokuDen (nome original do Dojo especialmente projetado para o treinamento dos samurais que serviam ao imperador, durante a construção de Quioto, então Heyan Kyo, por volta do ano 790 da era cristã).

Butokuden – aqui buscamos as virtudes do Budô, a guerra contra a violência!

Principais especialidades trabalhadas na Butokuden:

  1. O Aikido, arte marcial tradicional japonesa, seguindo a referência formal do Hombu Dojo, no Japão.
    Dentro do Aikido, praticamos Tai Jutsu (mãos livres); Ken Jutso (arte da esgrima com espadas); e Jo Jutsu (arte da esgrima com o bastão Jo);
  2. O Uso Adequado da Força Policial, disciplina que orienta os policiais sobre o uso da força, estritamente orientado pelos Direitos Humanos Internacionais em fortalecimento à técnica policial;
  3. Cursos de consciência corporal a partir da prática das artes marciais, voltados principalmente para companhias de dança, teatro e artistas em geral.
Instrutores

A Escola Butokuden é filiada à Federação Mineira de Aikido e todos os seus instrutores são graduados, experientes e credenciados para o ensino do Aikido.

Para garantir a segurança dos praticantes e a qualidade e originalidade das técnicas de Aikido, é necessário que o professor esteja devidamente registrado numa organização que reúne os mestres da arte marcial.

Os instrutores devem reunir, além da experiência técnica, os seguintes atributos:

  1. Fundamentação pedagógica (noções de Psicologia Aplicada, e de Didática);
  2. Noções de assuntos biomédicos (Anatomia, Fisiologia, Cinesiologia, Fisioterapia, e Socorros de urgência);
  3. Habilitação técnica (Conhecimento e capacidade de execução regular das técnicas de Aikido a serem ministradas).

 

Em Belo Horizonte, MG, a Lei Municipal impõe, para concessão do Alvará de localização de uma Academia de Arte Marcial, que o instrutor da modalidade esteja credenciado pela respectiva Federação.

 

Confira a formação e um breve histórico profissional dos nossos instrutores:

Alcino Lagares Côrtes Costa
Sensei – Faixa Preta 5º Dan em Aikido

Autor da maior pesquisa científica brasileira, sobre as Artes Marciais aplicadas à Segurança Pública, Lagares é também o autor da proposta filosófica que se tornara o principal eixo de transformação da forma de se pensar em polícia no Brasil. A transformação daquela polícia, que durante a ditadura tinha como missão proteger o Estado, ainda que em detrimento da cidadania, naquela polícia que queremos, protetora da dignidade humana e coerente com os Direitos Humanos Internacionais. Saiba mais!


Rômulo Lagares de Souza Côrtes
Sensei – Faixa Preta 4º Dan em Aikido

Rômulo Lagares, filho do Sensei Lagares, tem larga experiência como professor de Defesa Pessoal Policial. Desde 1997 leciona em vários cursos na Academia de Polícia Militar de Minas Gerais, inclusive para unidades de elite da PMMG.
É profundo conhecedor dos bastões japoneses Tonfa e Jô.


Rafael Moreira Sabino
Sensei – Faixa preta do 3º Dan em Aikido

Advogado atuante, Rafael é atualmente o aluno mais graduado a lecionar na Escola BuTokuDen.
Além de aulas de Aikido tradicional, em nosso Dojo, Rafael Sensei também é experiente na formação e reciclagem de milhares de guardas municipais de BH.


Fabiano José Assis Junior
Sensei – Faixa preta do 2º Dan em Aikido

Investigador da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, da PCMG, Fabiano atua há anos como sensei em nossa escola.
Especializado no uso da força policial, Fabiano é também instrutor na ACADEPOL (Academia de Polícia Civil de MG) e tem experiência em diversos cursos para unidades especiais da PMMG, realizados em nosso Dojo.


Vivaldo Leite Brito Junior
Sensei – Faixa preta do 2º Dan em Aikido

Graduado em Engenharia Elétrica, pós-graduado em Telecomunicações e em Gerenciamento de Projetos, Vivaldo é um experiente sensei e um dos alunos mais antigos de nossa escola.
Vivaldo Sensei é frequentemente elogiado por sua gentileza e paciência ao lecionar.


Gustavo Santos Guimarães
Sensei – Faixa preta do 2º Dan em Aikido

Gustavo Sensei é também um dos alunos mais antigos do Dojo.
Engenheiro mecânico, responsável por grandes projetos, é reconhecido por sua sólida base técnica, boa disposição em ajudar e lecionar, além de sua admirável humildade.


Marcelo Eugênio Faria
Sensei – Faixa preta do 2º Dan em Aikido

Empreendedor e jornalista experiente, atuante em grandes veículos de comunicação mineiros, Marcelo é admirado por onde passa, por sua tranquilidade e gentileza.
Marcelo sensei exercita sua notória tranquilidade, enquanto leciona e pratica com nossos alunos e colegas.


Fernando Almeida Carvalho
Sensei – Faixa preta do 2º Dan em Aikido

Engenheiro e empreendedor, Fernando é um professor atencioso e pai dedicado.
Fernando é o mais recente sensei a lecionar em nossa escola, mas nem por isso menos querido e admirado por alunos, professores e colegas.

Rei Ho, a Etiqueta

Todo AIKIDOKA (praticante de Aikido), em sinal de humildade e gratidão, além de respeito a todos aqueles que os precederam neste Caminho, deve:

  1. Utilizar as sandálias (zuri) sempre que estiver trajando o Gi, fora do tatami. Para entrar no tatami, alinhar as sandálias próximas a este, no local para isto previsto;
  2. Chegar ao Dojo antes do horário de início da aula. Se ocorrer um atraso, permanecer ajoelhado (Seiza) à entrada do Tatami, esperando que o Sensei autorize sua entrada;
  3. Fazer uma reverência em direção ao Shomen (local da foto do Kaisso) ao entrar e ao sair do Dojo. Saudar o parceiro, dizendo “Onegai Shimassu” (“Peço sua permissão”) ao iniciar, e “Arigatou” (“Obrigado”) ao terminar o treino;
  4. Dirigir-se ou referir-se ao professor como “Sensei”. Se precisar perguntar-lhe alguma coisa, ir até ele (evitar chamá-lo) e fazer uma reverência, mesmo em Riturei;
  5. Evitar conversar, discutir, ou disputar com o parceiro. Concentrar-se e praticar o que tiver sido recomendado pelo Sensei;
    Ajudar o parceiro que não conhecer o movimento que estiver sendo trabalhado, mas somente corrigi-lo se você for yudansha (Faixa Preta) ou se lhe for solicitado isso pelo Sensei;
  6. Somente ficar em pé no tatami quando estiver trabalhando. Permanecer em Seiza especialmente quando o Sensei estiver demonstrando ou explicando alguma técnica. Na hipótese de estar impedido de realizar Seiza, permanecer em Zazen;
  7. Permanecer no Tatami durante o horário completo de seu treinamento: a aula começa e termina com uma cerimônia formal;
  8. Aceitar, sem discutir, toda decisão do Sensei. Falar o mínimo possível. Trabalhar e jamais tentar impor suas ideias aos demais;
  9. Evitar danos físicos, ou morais, aos parceiros, respeitar o nível e as condições físicas desses, e praticar, com todos, com companheirismo e humildade;
  10. Cuidar de seu asseio pessoal, manter limpo o tatami, e participar espontaneamente da limpeza deste antes das aulas e ao final do dia;
  11. Usar somente seu próprio traje (Gi) e suas próprias armas (Jo, ou Boken). Somente utilizar-se de armas alheias quando estiver autorizado;
  12. Manter suas contribuições mensais em dia;
  13. Manter vivo o respeito ao Kaisso (Fundador) e ao Doshu (Sucessor);
  14. Viver em paz com as pessoas, respeitar as convenções sociais, evitar contendas, e recusar desafios de quaisquer espécies, dentro e fora do Dojo;
  15. Proteger todos os seres vivos e contribuir para a preservação da natureza em geral.